Senador do dinheiro na cueca, Chico Rodrigues se afasta por 90 dias

PUBLICIDADE

O senador Chico Rodrigues (DEM-RR) pediu afastamento do mandato pelo período de 90 dias. Ele foi flagrado na semana passada com dinheiro escondido na cueca ao ser alvo de operação da Polícia Federal que apura desvios de recursos em Roraima.

O senador Chico Rodrigues (DEM-RR) foi flagrado com dinheiro escondido na cueca em operação da Polícia Federal

Com o afastamento, o senador fica sem remuneração.

Chico Rodrigues foi alvo de pedido de cassação do mandato no Conselho de Ética do Senado e de ordem de afastamento assinada pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Roberto Barroso. O plenário da Corte julgará a decisão nesta 4ª feira (21.out).

Apesar da ordem de Barroso, Rodrigues ainda permanecia no exercício do mandato porque o Supremo decidiu, em 2017, que cabe ao próprio Senado dar a palavra final sobre o atendimento ou não de decisão que afete o trabalho de senadores.

Perguntada pela reportagem do Poder360 se o afastamento autoimposto por Chico Rodrigues interfere no julgamento da decisão no plenário do STF, a assessoria de Barroso informou que o ministro “analisará o caso se e quando for informado oficialmente da formalização da licença pelo senador“.

Chico é próximo à família do presidente Jair Bolsonaro e era vice-líder do Governo do Senado. Foi retirado da função depois de ser alvo da operação da PF. Seu substituto ainda não foi anunciado. O líder do Governo na Casa, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), afirmou que uma das duas vagas na Vice-Liderança será do PSD.

A operação que levou a PF a encontrar dinheiro escondido por Chico Rodrigues é a Desvid-19, que investiga o desvio de recursos destinados à Secretaria de Saúde de Roraima para o combate à pandemia. Parte dos valores encontrados com o senador (cerca de R$ 33.000) estava entre as nádegas do agora congressista afastado.

De acordo com a defesa de Chico, o dinheiro encontrado pela Polícia Federal serviria para pagar funcionários de sua família. As cédulas foram escondidas em “uma reação impensada”, segundo os advogados.

Leia a íntegra da manifestação divulgada pela defesa na 2ª feira (19.out):

“A defesa do senador Chico Rodrigues manifesta sua perplexidade com o linchamento sofrido por ele, sem que haja qualquer prova contra sua conduta.

O dinheiro tem origem particular comprovada e se destinava ao pagamento dos funcionários de empresa da família do senador.

mais: os recursos destinados por emenda parlamentar à Covid-19 em seu estado seguem nas contas do governo, de forma que nem ele, nem ninguém, poderia deter esses recursos.

Em 30 anos de vida pública, o senador nunca sofreu uma condenação e agora está sendo linchado por ter guardado seu próprio dinheiro. Foi uma reação impensada, de fato, mas tomada diante de um ato de terrorismo policial, sem que haja qualquer evidência de desvio em sua conduta.

Ter dinheiro lícito em casa não é crime. O único ato ilícito deste caso é o vazamento dos registros da diligência policial arbitrária que ele sofreu.”

Fonte de Informação:https://www.msn.com/pt-br/noticias/brasil/senador-do-dinheiro-na-cueca-chico-rodrigues-se-afasta-por-90-dias/ar-BB1acJ8H?li=AAggXC1

LEIA MAIS NO CANDEIAS PLAY

CURTA,COMPARTILHE NOSSA PAGINA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *